Roteiro gastronômico de Balneário Camboriú

O Balneário Saboroso, em sua sétima edição (Julho/16), já é considerado o maior festival gastronômico de Santa Catarina. Participam esse ano 38 restaurantes, que oferecem até dia 31 menus completos (entrada, prato principal e sobremesa) por R$ 49,90 para uma ou até duas pessoas.

O presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau, João Franciso Galvão Barão, disse que a cada ano o festival vem ganhando força. “Contamos com a participação dos melhores restaurantes da cidade e ainda temos a programação paralela, que contou com aulas-shows de renomados chefs, como o Jeferson Rueda, que foi escolhido como o Chef do Ano. Ele se apresentou junto da esposa, Janaína, que também é super reconhecida”, disse.

O Página 3 criou um questionário online que foi respondido por mais de 60 pessoas, entre turistas e moradores da cidade e da região. O público teve a chance de opinar quais restaurantes mais frequenta na cidade, o que acham do preço e o que preferem comer por aqui. 99 estabelecimentos apareceram nas respostas, desde fast foods, como locais que servem massas, comida japonesa, frutos do mar e churrascarias. Reunimos alguns dos mais citados e traçamos um roteiro gastronômico da praia, confira!

Tira FG[4]

60,34% do público escolhe os restaurantes aonde vai pela qualidade da comida; 17,24% pelo ambiente; 12,07% pelo preço; e 10,34% pelo atendimento. Já na questão do preço, a maioria vê que os restaurantes de Balneário são razoáveis (59,52%).

Ainda de acordo com as respostas, a gastronomia mais procurada na cidade hoje é a oriental (27,91%), mas o público também procura massas (20,93%), fast food (16,28%), churrascarias (13,95%), frutos do mar (13,95%) e outras (mexicana, australiana, etc.) (6,98%).

Saiba mais sobre algumas das cozinhas de Balneário Camboriú

Texto Renata Rutes/Edição Daniele dos Reis

Luciano Dias

Kombina Felice: público escolhe a massa e molho

 

Foto Luciano Dias

O empresário Rafael Jasnievicz Scalco, proprietário do restaurante de massas Kombina Felice, comemora o bom movimento. “Todos no Passeio San Miguel estão elogiando. Como o espaço reúne muitos restaurantes, todos saem ganhando, pois o pessoal vai até lá para comer e se tem fila em um, tem a opção de ir em outro”, relata. Recentemente o Kombina passou por reformas e dobrou de tamanho. Antes a capacidade era 40 pessoas, agora pode atender até 90.

Segundo Rafael, os principais clientes são famílias e casais. Ele conta que na temporada percebeu um aumento no número de turistas estrangeiros, mas que seu principal público são os moradores, que trazem parentes e amigos de fora para conhecerem o Kombina, onde o cliente escolhe a massa e o molho que quer comer, montando seu prato. Rafael salienta que as preferidas são a de molho de gorgonzola com filé mignon e a de camarão com limão siciliano.

 

La Trattoria, um pedacinho da Itália em Balneário

Foto Luciano Dias

A casa foi encontrada ‘pronta’, Angélica Terebinto e seu esposo Carlos Augusto Júnior colocaram em prática tudo o que aprenderam quando trabalharam em companhias de navios de cruzeiros italianos, da Costa Cruzeiros. Desde o cardápio a pequenos detalhes... tudo foi planejado pelo casal.

A novidade dessa experiência é que eles trouxeram o serviço empratado para o La Trattoria.

“Aqui em Balneário geralmente os restaurantes trabalham com pratos para duas pessoas, na Itália é diferente, os pratos são individuais então optamos por esse serviço no nosso restaurante”, diz Angélica.

Os brasileiros costumam colocar em um mesmo prato a salada, carnes, massas, entre outros. Já os italianos comem uma coisa de cada vez. Eles começam com o Antepasti, que significa antes da refeição; depois vem o primo piatto, que pode ser uma massa ou um risoto. Para os italianos o secondo piatto é o prato principal, que pode ser uma carne ou peixe, acompanhado do Contorno, que é uma salada grelhada ou cozida. “Sempre será um acompanhamento que vai enriquecer a proteína, depois da comida então vem a sobremesa que é o dolci, após a sobremesa pode ir finalizando com um gellato que é o sorvete, um queijo e para terminar com um café ou um chá”, explica Carlos.

Luxo, Sofisticação e Exclusividade Informe-se aqui: https://goo.gl/2PDQXH

Trattoria em italiano significa estabelecimento onde o atendimento e a comida são feitos pela família. O La Trattoria é pequeno, aconchegante e há uma proximidade com os clientes. “Nós procuramos nos adaptar de acordo com o que o nosso público pede, porém sempre prezo pela qualidade dos produtos mantendo a particularidade do nosso restaurante”, completa Angélica.

Com uma pitada do sul e norte da Itália, os pratos têm sua simplicidade e sabores peculiares. As inovações são constantes no cardápio e a chef Angélica busca memórias que remetem a essência de alguns pratos que ela traz para o menu do La Trattoria. Embora Oma seja uma palavra alemã, que significa avó, no cardápio há um Fettucine da Oma. “Parte da minha família é alemã e então fiz essa mistura da massa italiana que acompanha a linguiça típica dos alemães que a preparam artesanalmente, assim como a minha avó fazia”, comenta.

Outro exemplo é o Spaghetto Alla Mediterranea, uma massa com camarões, limão siciliano, parmesão, alho e temperos verdes. “Quando a pessoa come essa massa, principalmente quem já esteve na região de Sorrento, Nápoli, vai sentir o aroma daquele lugar, pois sempre traduzimos memórias em produções”, finaliza Angélica.

 

O La Trattoria fica na Rua 2100, número 87

Taj: comida oriental diferenciada

Foto: Divulgação

O Taj apresentou recentemente um novo cardápio, seguindo a linha da culinária oriental de um jeito ‘abrasileirado’. O chef do Taj BC, Ricardo Becker, conta que normalmente os pratos levam muita pimenta, mas que o cliente decide quanto quer. Ele afirma que o diferencial do local para os tantos outros restaurantes de comida oriental da cidade, são os produtos com que trabalham.

“Também temos os próprios molhos, preparados por nós, e seguimos um padrão de qualidade. O Taj tem todo um ambiente diferenciado e o cliente nota isso desde a chegada, até a hora de comer e curtir a música”, explica.

Do menu do Taj ele salienta alguns pratos, como o Wok Experience, que é o tradicional arroz frito da Indonésia e Malásia, preparado com cebola, cenoura, repolho roxo, broto de feijão, castanha de caju moída e alho-poró crocante, que pode ser feito com mignon, abacaxi ou frango.
“Eu vejo que falta apoio governamental para a gastronomia em Balneário Camboriú, há poucos eventos voltados para a gastronomia, e o público precisa criar a cultura gastronômica, precisa entender que a gastronomia é uma arte e que se é cara é porque tem motivo. Nós, por exemplo, temos um molho que demora cinco dias para ser preparado”, acrescenta.

 

O Taj fica na Avenida Atlântica, 5710 – Barra Sul.

Didge e Guaca: Austrália e México lado a lado

Foto: Renata Rutes

O proprietário do Grupo Ozmex é João Francisco Galvão Barão, o Chico, que conta que o Guaca está comemorando 10 anos neste ano (o Didge tem nove). A ideia de abrir o mexicano surgiu porque havia poucos restaurantes do ramo na região. “Desde que abrimos o Guaca foi uma sensação... e um ano depois abrimos o Didge, inspirado em uma famosa rede de restaurantes, mas com a nossa cara, seguindo a pegada Steakhouse, que é a de um restaurante com um jeito jovem, sem toalha na mesa, com muita música, cerveja e chope”, informa.

O cardápio do Guaca é adaptado ao paladar brasileiro, já que a comida mexicana é bastante apimentada. Ele está passando por mudanças e em breve contará com novos pratos, porém Chico afirma que há comidas clássicas que sempre permanecerão no menu, como os clássicos tacos e nachos.

O menu do Didge conta com pratos como a Didge Onion (pétalas de cebola empanada, servidas com o molho picante especial da casa), Fish and Chips (filé de peixe empanado, servido ao estilo Australiano, com fritas e molho tártaro) e a Pork Ribs (costelinha de porco preparada durante mais de 30h e regada ao molho barbecue).

Tira FG[4][6]

O Guaca e o Didge ficam na Normando Tedesco, na Barra Sul.

O Pharol: clássico da praia

Foto: Luciano Dias

A história do restaurante começou há 30 anos, na Barra Sul. O proprietário Ébio Moreira de Oliveira conta que o forte da casa sempre foi peixes e frutos do mar, mas que também servem feijoada, carnes nobres e fondue, principalmente pelo fato de que nem todos gostam de peixe.

“Começamos pequenos e com o tempo fomos nos modernizando, tanto estruturalmente como também na parte do atendimento, e hoje estamos na Atlântica com a Rua 2.000, em um local bem mais amplo e mais bonito”, salienta.

Ele lembra que a gastronomia de Balneário sempre foi dinâmica, e que isso vem melhorando com o tempo.

“Ela sempre foi o ponto forte da cidade e hoje está muito variada. Quem vem até Balneário pode comer churrasco, sushi, frutos do mar, massas, comida mexicana, australiana, árabe... tem de tudo”, afirma.

Há quase cinco anos, junto de um sócio, Ébio abriu seu segundo restaurante, O Pharol Porto Cabral, mais conhecido como o restaurante flutuante. Segundo ele, o principal diferencial do flutuante é que o público principal que vai até lá é mais seleto, além de que a gastronomia dele é principalmente oriental. “O segredo do sucesso, em minha opinião, é muito trabalho e profissionalização. Não é fácil se manter em Balneário Camboriú, impostos são altos e o aluguel também, é preciso foco, inovação e dedicação”, pontua.

Ébio elogia a ideia do Balneário Saboroso, e comenta que participam desde a primeira edição, afirmando que o festival atrai moradores da cidade e que todo ano a procura aumenta. “É muito bacana e bem organizado, acredito até que deveria ter mais eventos do tipo”, opina.

 

Wrulenbac: o pub virou restaurante

Foto: Luciano Dias

O Wrulenbac começou em 2011 com a proposta de ser mais um pub em Balneário Camboriú, mas ele se transformou, a pedido do público, e hoje tem mais cara de restaurante. O gerente Guilherme Oliveira lembra que as pessoas iam até lá procurando comida e que muitas saíam para ir comer em outro lugar.

“Porém seguimos no estilo com a pegada de teto mais baixo e bar grande bem no meio do espaço. Mas hoje o nosso cardápio é mais focado na comida, trabalhamos tanto com frutos do mar como também com carnes grelhadas. O público sempre elogia porque além do preço, que é bacana, os pratos são grandes e servem bem a todos”, diz. Outro destaque do Wrulenbac é a carta de cervejas, que conta com mais de 60 opções. Segundo Guilherme, eles foram pioneiros nesse ramo na região.

Ele aproveita para avaliar que em sua opinião a orla de Balneário é muito repetitiva gastronomicamente. “Há muitos restaurantes focados só em peixes e frutos do mar, acho que deveria haver mais variedade. Porém, na cidade há muitos restaurantes diferentes, como bistrôs, hamburguerias, casas de massas e sushis...”, afirma.

O restaurante participa do Balneário Saboroso há quatro anos, e segundo Guilherme o resultado é sempre positivo. “Vendemos cerca de 600 menus. É um volume legal. O BC Convention faz muita diferença para o trade, pois nos representa e sempre busca melhorar o turismo e gastronomia da cidade”, diz.

 

Sushi Ya aposta em inovação para se destacar

Foto: Luciano Dias

O sushi caiu no gosto do público e hoje há muitos restaurantes que comercializam a comida em Balneário Camboriú e região. O Sushi Ya surgiu em 2009, antes do ‘boom’ acontecer, quando tinha apenas cinco restaurantes do ramo em funcionamento. Hoje, segundo o chef Gabriel Ossani, há 53.

“Nossa especialização sempre foi o sushi. A concorrência é complicada considerando que há várias pessoas que vendem sushi, mas que a qualidade é bem longe de ser parecida com a nossa, por conta da escolha dos produtos, principalmente. Isso é bacana, porque sempre temos que inovar”, comenta.

Tira-FG44

O cardápio do Sushi Ya é formado por peixes da região, como a tainha, o linguado, dourado do mar e o atum, que são usados para fazer sashimi, e que segundo Gabriel, fazem sucesso. “Um dos destaques do nosso cardápio é o molho de ostras com alho-poró, que é servido com atum e fica sensacional. O gengibre em conserva também é produzido por nós”, diz.

Gabriel avalia que antigamente a gastronomia de Balneário era mais repetitiva, e que vê que hoje há mais variedade. “Hoje você encontra um alemão, um italiano, carnes e sushi... e não só frutos do mar”, acrescenta.

 

Pizza Bis e os sabores exclusivos

Foto: Luciano Dias

A pizza ainda é uma das comidas preferidas de grande parte do público. Na cidade há diversas pizzarias, e um dos destaques é a Pizza Bis, que existe desde 2005. 11 anos depois, o proprietário Roberto Kist já acumula três lojas, sendo uma de tele-entregas. “O diferencial é que temos ingredientes selecionados, temos massas feitas todos os dias, usamos mussarela feita especialmente para a pizza...”, comenta.
Para ele, os vários rodízios que existem na cidade não são necessariamente concorrentes, já que o serviço é a la carte e há produtos diferenciados.

“No rodízio você precisa esperar até a pizza que você quer chegar na sua mesa, já no a la carte você pede exatamente o que você quer comer”, explica. Segundo ele, os sabores destaques da Pizza Bis é a Quinto Elemento (pizza servida em cima de um molho de quatro queijos com camarão e tempero especial) e a de Salmão (criação da Pizza Bis para participar do Festival Gastronômico de Pizzarias, ocorrido em 2007).

A gastronomia de Balneário vem crescendo, diz Roberto e está bem conceituada no mercado nacional, porque é bastante variada. “Vejo que quem não consegue se manter no mercado é porque considerou que ia ter sempre o movimento de alta temporada, e não é assim. Além de que acham que conseguirão se manter o ano todo com o dinheiro conquistado no verão, e não é suficiente. Há também quem abra um restaurante sem um foco, por exemplo, eu já vi restaurantes de frutos do mar que servem pizza à noite. Algum desses vai acabar pecando na qualidade”, opina.

Para ele, é preciso investimento e participação, e lembra que o Balneário Saboroso é uma boa pedida. “Ele faz diferença na hora das vendas, porque seu restaurante estará exposto por toda a cidade, e você também estará marcando a sua marca, o público vai te ver”, diz.

 

Chaplin: há 24 anos na cidade

Foto: Luciano Dias

Em 1986, o empresário Júlio César Moro já possuía sociedade no Rancho do Baturité, que ficava na Barra Sul. Assim surgiu a ideia de abrir o Restaurante Chaplin, na área central da cidade, com o intuito de atingir um público maior, ficando aberto durante todo o dia, pois na época o Rancho trabalhava somente no período noturno. Hoje quem toca os negócios da família é Gabriela Moro, filha de Júlio.

Ela conta que na época em que abriram o negócio, em 1992, a cidade não dispunha de movimento e dependiam quase que exclusivamente dos finais de semana, feriados e temporada. Por sempre ter um público fiel, o Restaurante Chaplin vivia lotado, por isso em 1995 surgiu a ideia de abrir um barzinho ao lado, para que os clientes pudessem aguardar uma mesa para jantar. Mas o Chaplin Bar deu tão certo que conquistou seu próprio público e completa neste ano o seu 11º aniversário.

O cardápio do Chaplin Restaurante atualmente é metade conservador e metade inovador. “Temos alguns pratos que estão desde a criação, como o Camarão à Chaplin, que leva peixe e camarão como ingredientes principais, mas também temos outras receitas novas, que foram inseridas no cardápio ao longo dos anos. Nesse ano iremos lançar ainda mais novidades gastronômicas”, diz. Já o Chaplin Bar possui um cardápio mais versátil, sempre com novas ideias.

“Festivais como o Saboroso atraem o turista e convidam o morador da nossa cidade a frequentarem os restaurantes e apreciarem o que oferecemos”, afirma.

Gabriela avalia que Balneário Camboriú sempre esteve em crescimento desde que iniciaram os trabalhos. Antes o Grupo dependia da temporada e dos finais de semana, hoje possuem muitos clientes também em dias de semana. “Mas lógico que a sazonalidade existe. A cidade ainda tem muito a evoluir. Percebemos que sempre que temos um evento na cidade ou próximo daqui o movimento nas casas aumenta, mostrando que o Centreventos fará toda a diferença em Balneário”, salienta. Ela considera a gastronomia de Balneário variada e que isso faz com que a cidade esteja pronta para atender os mais diversos paladares, além de que incentiva os funcionários a se capacitarem. “Através do curso de Gastronomia da Univali temos bons profissionais do setor, já que o curso é o melhor do Brasil”, comenta.

Tira FG[4][4]

Fonte: Página3

Analytics